Premiação

 

Prêmio Roberto Fernando de Souza de Excelência em Catálise: Professor Martin Schmal

 

A criação do prêmio “Roberto Fernando de Souza de Excelência em Catálise” foi aprovada por unanimidade na 10ª Assembleia Geral da Sociedade Brasileira de Catálise realizada no dia 16 de setembro de 2015, durante o 18º Congresso Brasileiro de Catálise.

Roberto foi um entusiasta da catálise no país, tendo participado ativamente da criação da Sociedade e sido seu Presidente por dois mandatos consecutivos além de ter sido o organizador de diversas edições de CBCat, nas quais exercia com êxito suas capacidades em congregar os membros de nossa Sociedade. Porém, acima de tudo, Roberto foi um dos principais cientistas em catálise no Brasil ao seu tempo, tendo sido pioneiro no uso de líquidos iônicos, assim como contribuído para a formação de um núcleo de catálise no sul do país,sobretudo com foco na catálise homogênea voltada para processos de oligomerização e polimerização e tendo orientado suas ultimas linhas de pesquisa na geração de energias alternativas e na área da química verde.

Roberto se destacou pela liderança e inovação na pesquisa, sabendo encontrarinterfaces eficientes com parceiros industriais, tendo publicado inúmeros artigos emrevistas de alto impacto, orientado diversos alunos de pós-graduação, muitos dos quaisseguem seu legado científico na área, além de ter atuação destacada na área administrativa, como Diretor do Instituto de Química da UFRGS, coordenador de numerosas comissões da UFRGS e presidente da SBCat, entre outras atividades. Um prêmio com o seu nome é umajusta homenagem que a SBCat faz ao cientista brilhante, que prematuramente nos deixou e quetem um grande legado para ser conhecido pelas gerações futuras.

O fundamento do prêmio é o de reconhecer a excelência na pesquisa e formação derecursos humanos em catálise no Brasil, nos últimos 10 anos, por qualquer um dos membros daSBCat. O objetivo é premiar um indivíduo pela excelência de seus trabalhos noentendimento da catálise e no desenvolvimento de novos catalisadores e processos catalíticos,abrangendo a catálise homogênea, catálise heterogênea, biocatálise, eletrocatálise,fotocatálise, preparação, caracterização ou avaliação de catalisadores, modelagem decatalisadores, de reatores ou de processos catalíticos, entre outros aspectos. Também deverá serconsiderada a excelência na formação de recursos humanos, atestada pela orientação de tesesde doutorado e dissertações de mestrado.

A Diretoria da SBCat (Biênio 2015-2017) nomeou uma comissão composta pelosProfessores Claudio José de Araújo Mota (UFRJ), MichèleOberson de Souza (UFRGS) e Roger Frétypara selecionar os potenciais candidato ao prêmio e fazer a sua indicação. Após umperíodo de análise e discussão, a Comissão indicou o nome do Professor Martin Schmal quereceberá o prêmio durante o 19º CBCat, quando também proferirá uma palestra plenária.

Assim, é com imenso prazer e satisfação que a Diretoria da SBCat (Biênio2015-2017) parabeniza o Professor Martin Schmal por mais essa conquista.

 

Prof. Emérito da UFRJ, Martin Schmal obteve seu doutorado em Engenharia Química pela Universidade Técnica de Berlim em 1970. Começou a lecionar na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)em 1970, sendo promovido a Professor Titular em 1985. Atualmente, é Professor Emérito desta mesma Universidade e atua como Consultor do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) em São Paulo. É Pesquisador Emérito do CNPq, membro titular da Academia Brasileirade Ciências (ABC) e da Academia Nacional de Engenharia. Foi fundador e primeiro presidente da Sociedade Brasileira de Catálise (SBCat). O Prof. Schmal tem 217 artigos publicados em revistas indexadas, possuindo 3870 citações e índice h 32 pelo web of science.

Ele é, ainda, autor e co-autor de quatro livros: Cinética Homogênea e Reatores (1982);Cinética e Reatores (2010), Catálise Heterogênea (2011) e Chemical Reaction Engeneering, Essentials, Exercises and Examples (2014). É co-autor de um pedido de patente e possui inúmeros trabalhos apresentados em congressos nacionais e internacionais, bem como palestras e seminários em eventos científicos. No que tange a formação de recursos humanos de alta qualificação o Prof. Schmal tem um desempenho excepcional. Até hoje, orientou e co-orientou 37dissertações de mestrado e 55 teses de doutorado. Cinco dissertações e cinco teses estão em andamento. Dentre os alunos egressos do seu grupo há vários que atuam com destaque na área de catálise, podendo-se citar: Eduardo Falabella Souza-Aguiar (EQ/UFRJ), Elizabeth Jordão(Unicamp), Fábio Bellot Noronha (INT), Victor Teixeira (COPPE/UFRJ e atual presidente da SBCat), Fábio Passos (UFF), Lucia Appel (INT), Donato Aranda (EQ/UFRJ), Mariana Mattos Souza (EQ/UFRJ), José Geraldo Pacheco (UFPE), Nadia Regina Fernandes (UEM), Marcelo Maciel (IQ/UFRJ), Fabiana Mendes (INT), Carlos Renê Klotz (Petrobras), Robson Monteiro (CBMM, consultor), Andrea Pinho (Petrobras), Ricardo Reis Soares (UFU), Rodolfo Roncollato (Petrobras), entre outros. O Prof. Schmal recebeu inúmeros prêmios em reconhecimento ao seu trabalho acadêmico, destacando-se o Humbolt Research Award (2003), Prêmio Ciência e Tecnologia do México (2003), Prêmio Scopus/Elsevier/Capes (2009 e 2011), Prêmio Pesquisador Sênior pela FISOCAT e a Medalha Max Planck da Alemanha em 2014. É membro do corpo editorial da Applied Catalysis, Catalysis Today e dos Anais da Academia de Ciências. A Comissão gostaria de destacar, ainda, que além de contribuir para o desenvolvimento da catalise no Brasil e ter números expressivos de publicações e orientações de alunos, o Prof. Schmal foi um pioneiro na internacionalização da catálise brasileira. Sua participação na organização do 6° Simpósio Iberoamericano de Catálise-Rio de Janeiro 1976, do 3rd International Symposiumon Group V Elements – Rio 1999 – e do 8th Natural Gas Conversion Symposium -Natal 2007- publicado em Studies in Surface Science na dCatalysis N° 167são exemplos que permitiram mostrar no exterior, o potencial do Brasil para organizar grandes eventos na área, que contaram com a participação de inúmeros cientistas de renome mundial. Isso abriu as portas para que eventos internacionais de grande porte, como a International Zeolite Conference, pudessem ser realizados no Brasil nesta década. Ele foi, também, ponto de partida para cooperações internacionais, mantendo contatos com grupos de pesquisa da França, Estados Unidos e Alemanha, incentivando seus alunos e colegas para aproveitar estas oportunidades, efetuando estágios e tendo formações complementares no exterior. Isso, sem dúvida, enriqueceu significativamente a catálise no país, abrindo novas portas de colaboração e formando especialistas em técnicas e assuntos de importância para a área, que continuam atuando ativamente no Brasil. Ainda dentro da contribuição do Prof. Schmal para a internacionalização da catálise do Brasil, pode-se citar os inúmeros convites a especialistas estrangeiros para visitas e estadias em seu Laboratório e de outros grupos brasileiros. Esta dimensão internacional aparece claramente nas publicações do Prof. Martin Schmal, onde 25 % delas levam co-assinaturas estrangeiras. Por todas as contribuições listadas, quantitativas e qualitativas, o Prof. Martin Schmal mereceu a indicação unânime da Comissão de Seleção para vencedor da 1a edição doPrêmio Roberto Fernando de Souza de Excelência em Catálise, a ser oferecido pela SBCat por ocasião do 19° Congresso Brasileiro de Catálise.